Mensagem do Presidente


mensagem-do-presidente
António Marçal, 49 anos de idade
Oficial de Justiça, Presidente da Junta de Freguesia de Lousã e Vilarinho
antonio.marcal@jf-lousanevilarinho.pt

“Importa assegurar as necessidades mais básicas dos nossos residentes”

Caros amigos,

Começámos em outubro de 2013 uma nova e desafiante aventura – a gestão de um território imenso em riqueza humana e com recursos naturais emblemáticos. A união das freguesias de Lousã e Vilarinho foi uma aventura imposta por forças a que somos alheios, mas que cumprimos com dedicação e empenho. Em primeiro lugar estão e estarão sempre as pessoas. É por elas que trabalhamos. Estamos no terreno para cumprir o que de nós é esperado: intervir nas pequenas, mas importantes necessidades que em tudo melhoram o conforto e o bem-estar do dia-a-dia da população.

Como já acontecia antes, todas as aldeias mantêm a sua identidade, querem ver resolvidas situações específicas de cada local, organizam as festas e romarias locais aos santos de devoção, animam as coletividades e organizam-se de acordo com hábitos e tradições há muito adquiridos. Não há legislação que altere esta situação! Nem é esse o objetivo desta reorganização. Desde logo, apesar de os serviços se terem unificado, os postos de atendimento foram mantidos e a delegação de Vilarinho funciona nos moldes e horários habituais. O que muda é mesmo para melhor já que os nossos fregueses usufruem dos mesmos serviços em locais diferentes.

mapa-lous+úA atividade diária da Junta de Freguesia continua a ser a resposta às solicitações de quem nos procura, quer no âmbito administrativo, quer nas intervenções e limpezas das aldeias e dos caminhos. Não podemos, ainda assim, deixar de destacar algumas das intervenções que para nós são emblemáticas e que nos enchem de orgulho (passando a imodéstia!). Mantemos e acarinhamos projetos de cidadania e de responsabilidade social e ambiental, sobretudo vocacionados para as crianças em idade escolar como os Jogos da Freguesia e o Crescer com as Árvores.

São projetos que cresceram connosco e que nos ajudam a crescer. Vão seguramente ficar na memória das nossas crianças e ajudá-las a ser adultos participativos e mais democráticos. Mas outros há: com o projeto Voltar à Terra vamos contribuir para a sustentabilidade das nossas famílias, incentivando o cultivo e consumo de bens que vão desafogar o orçamento familiar e patrocinar o regresso à pequena agricultura, à utilização dos quintais e ao uso consciente e racional da água. É por essa mesma razão que o investimento nos regadios e nas levadas tem sido uma prioridade. A sustentabilidade ambiental e o uso racional da água são também uma questão cultural que se insere plenamente no Voltar à Terra. Mas também a limpeza e manutenção dos tanques e lavadouros, a colocação de grelhas, a manutenção de valetas e aquedutos…

Sem dúvida que é BOM VIVER AQUI. Gostaria a Junta de Freguesia que todos os nossos residentes tivessem asseguradas iguais condições de acesso a habitação condigna, a escola e ao sistema de saúde. Sabendo que assim não acontece e que a situação das famílias se tem agravado por força da situação do país, é nosso dever estar perto e acionar toda a nossa criatividade (e parcos recursos económicos) para ajudar a colmatar algumas situações. O projeto Abrigar o Futuro arrancou com a construção e reparação de paragens e abrigos escolares para que as crianças pudessem ter condições. Evolui para a intervenção em casas de agregados familiares, sobretudo com crianças e idosos. Agora, e apelando ao mecenato social, esse trabalho continua – é primordial que as empresas e negócios locais se unam ao esforço e, por exemplo, em ações de team building, se comprometam também na reconstrução de uma casa ou até na preparação e cultivo de um terreno.

O facto de o nosso concelho estar a viver uma situação de mudança em relação à educação devido ao fecho de algumas escolas e à abertura da escola nova, permite repensar o conceito de escola e de educação para toda a nossa comunidade. As mudanças incomodam, mas podem “vir por bem”. Da nossa parte tudo faremos para que esta mudança seja pacífica e vantajosa, sem sobressaltos para as nossas crianças e para toda a comunidade educativa que os acompanha. Não podemos deixar de fazer aqui uma breve referência aos transportes já que é assunto que preocupa a maior parte dos pais. Não sendo da competência da Junta, o nosso compromisso é mesmo o de acompanhar atentamente toda a questão, nomeadamente garantindo o facto de nenhuma criança do primeiro ciclo poder ficar sozinha numa paragem de transporte escolar.

Em tempos de crise e de contenção orçamental, em tempos de navegar à vista e ir fazendo, importa assegurar as necessidades mais básicas dos nossos residentes. Ainda assim, e porque queremos sempre mais, atrevemo-nos a alargar o passo e ir mais longe, ambicionamos entrar noutros campos e contribuir para o desenvolvimento integrado do nosso concelho nas áreas culturais – investigação histórica e arqueológica, organização e divulgação da história da freguesia e do acervo a documenta, participação e organização de eventos de índole variada.

Marcamos a diferença e fazemos da(s) nossa(s) freguesia(s) um espaço onde É Bom Viver!

António Marçal
Presidente da Junta de Freguesia da Lousã e Vilarinho