DIVULGAÇÃO: Orçamento Participativo Portugal – 2018

Para melhor (re)valorizar o Mel da Serra da Lousã precisamos do voto de todos os munícipes e cidadãos que se identifiquem com esta iniciativa.

O projeto, inscrito no OPP 2018, pode ser consultado e votado em: https://opp.gov.pt/proj/27?page=1&ordering=random_order&search=27

Desde já agradecemos a Vossa atenção e disponibilidade.

OPP | Orçamento Participativo Portugal – 2018

Projeto a votação: 
# 27 (Re)Valorizar o Mel da Serra da Lousã (dop)
Apoio técnico à instalação e consolidação de novos apicultores

Conteúdo do projeto

Tendo em conta o impacto negativo dos incêndios de 2017 na destruição de colmeias e da flora (ex. urze e carqueja) na área geográfica de produção da Denominação de Origem Protegida Mel Serra da Lousã (DOP).
Sem esquecer outras ameaças ao desenvolvimento da apicultura (ex. controlo de pragas).
Atendendo à necessidade de consolidar o número relativamente significativo de jovens apicultores com projetos aprovados com dificuldades de povoar as suas colmeias e de reforçar o associativismo e cooperativismo local – sobretudo nas vertentes sul da Serra da Lousã (Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande e Pampilhosa da Serra).
Considerando a relevância que a apicultura tem na preservação da biodiversidade e a necessidade de focalizar esforços no aumento da produção e na melhoria da promoção do Mel da Serra da Lousã (DOP), com vista à própria valorização deste território.
Importa lançar apoios ao desenvolvimento da atividade apícola na região, em complemento dos regimes de incentivos existentes, nomeadamente através de:

  • i) programação e realização de novos cursos de apicultura – e novas ações de formação e informação técnica (reciclagem) junto de apicultores já instalados;
  • ii) Promoção da cooperação entre apicultores, para a resolução de problemas comuns, como a aquisição de material apícola em grupo para reduzir o custo de aquisição, a produção de enxames para povoamento das colmeias existentes, a preparação do mel para o mercado e a concentração da oferta
  • iii) incentivo à produção e aquisição de enxames para povoar as colmeias dos novos apicultores ou os que tem as suas capacidades produtivas subaproveitadas ou os que se pretendem expandir, pois esta é uma dificuldade sentida pelos jovens agricultores instalados e outros investidores no sector, que foram ou podem ser apoiados na aquisição de colmeias e equipamentos mas não tem quaisquer apoios na aquisição de enxames.
  • iv) Trabalho de dinamização do associativismo local, designadamente de reforço da capacidade de intervenção da LOUSAMEL, em termos de reforço da ligação aos produtores, capacidade técnica, estrutura comercial, promoção e defesa do produto e alargamento das suas atividades aos concelhos da vertente sul da Serra da Lousã – ex. abertura de polo em Castanheira de Pera;
  • v) envolver novos parceiros (ex. Governo (organismos da administração central), municípios, cooperativas, baldios, politécnicos, etc.), com destaque para a necessidade de concertar e desenvolver tarefas como::
  • a) elaboração e execução de plano de investigação científica e de desenvolvimento de novas técnicas (I&D) apícolas, proteção sanitária e defesa contra a vespa asiática, incentivando a participação da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Coimbra e outras instituições similares de ensino superior ou com valências na área da obtenção e transferência de conhecimento;
  • b) melhor aproveitamento do potencial apícola dos terrenos baldios (ex. criação e/ou cedência de lotes para instalação de apiários), através da participação das comissões de compartes;
  • c) controlo da vegetação e melhoria da flora mais útil e característica para a produção de Mel DOP Serra da Lousã
  • d) melhoria da eficácia do controlo sanitário
  • e) luta contra a vespa asiática
Principal Proponente
António Anchas

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.