Intervenção da Srª Presidente na Assembleia Municipal de 24/09/2020

Exmo Sr. Presidente da Assembleia Municipal

Exmo Sr. Presidente da CML

Executivo, membros da AM, colegas Presidentes de Junta, funcionários da CML, público, imprensa

Em nome do executivo da JF e também da população agradeço a realização da Assembleia Municipal em Vilarinho. É sempre um gosto acolher estas reuniões descentralizadas da AM. Agradeço ainda à direção do Clube Recreativo Vilarinhense a disponibilidade na cedência da sala.

Não pondo em causa o legítimo ensejo das gentes das aldeias da ex freguesia de Vilarinho de reverem o seu território, e enquanto presidente da JF da UFLV, relembro que tudo temos feito para que o nosso espaço comum seja olhado como um todo, beneficiando de igualdade de tratamento, cuidado e atenção.

Para nós, o cuidado na prestação dos serviços à comunidade e a urgência que pomos nas intervenções é o mesmo para quem reside no Marco do Espinho, Vale Pereira da Serra, Cabanões ou no Boque, só para citar as aldeias mais afastadas do centro da vila.

O freguês que reside no Prilhão pesa o mesmo (perdoem a expressão!) do que o que reside em Vale de Maceira já que as pequenas/grandes questões que os afetam ou que contribuem para a melhoria da sua qualidade de vida são basicamente as mesmas.

Ainda assim, e porque o que realmente não se consegue resolver com uma boa gestão do espaço, a melhor possível atendendo aos meios e recursos disponíveis, é mesmo a “a questão de coração”, de pertença a uma comunidade, tudo tentámos para que o processo de desagregação de freguesias seja uma realidade já no próximo processo eleitoral, até porque o nosso conceito de autarquia FREGUESIA não corresponde ao atual desenho criado coercivamente em 2013. Tudo temos feito para devolver a voz aos cidadãos.

Em junho dei-vos nota das informações disponíveis, acrescento agora que enviamos à ANAFRE pedido de esclarecimento e de intervenção no processo. Lembro que foram apresentadas, e aprovadas, moções aos congressos da Anafre dos Açores, de Viseu e, já este ano, de Portimão. Seria por isso também importante que a CML, e também esta AM, diligenciasse junto do poder central – Governo e Assembleia da República – para que tomem uma posição clara em relação a este processo. Volto a frisar que a falta desta lei é uma violação dos princípios constitucionais e não nos podemos calar perante tal omissão.

Até lá, creiam, para que fique bem claro, que somos uma mesma freguesia, Lousã e Vilarinho são uma só comunidade.

Assim, senhor Presidente da Câmara Municipal, tomo a liberdade de aproveitar este espaço de palavra para lembrar, ou reforçar, a necessidade de algumas intervenções na zona de Vilarinho (algumas já acordadas):

 – Intervenção na Rua do Bordão, entre o Centro de Saúde e a EB1, e na Estrada Real;

 – Intervenção e pavimentação de ruas do lugar, nomeadamente da Rua do Lagar;

 – Reforço junto da IP da necessidade de construção de passeios desde a igreja ao lugar de Vilarinho, resolução da questão das bermas e do encaminhamento das águas das minas e pluviais;

 – Requalificação da zona mais urbana da Rua Joaquim Pereira de Melo e outras;

 – Encaminhamento das águas pluviais na Rua José dos Santos Carvalho, em Fiscal;

 – Intervenção nas estradas florestais entre o Boque e o Aeródromo, nomeadamente na reparação de serventias;

 – Reforço de contentores de recolha de resíduos domésticos, mas também de ecopontos, designadamente na Rua de Vale de Moleiros;

 – Estudo da possibilidade de acesso da estrada da Quinta do Caimão pela Rua de Vale de Moleiros;

 – Por último, estudo da possibilidade de alargamento da estrada de acesso à sede da ADIC.

Aproveito aqui, se me é permitido, para felicitar a direção da ADIC e toda a equipa pela conclusão das obras da sede e desejar a todos a continuação de bom trabalho em prol da comunidade.

Agradeço novamente a presença da AM em Vilarinho

Vilarinho, 24 de setembro de 2020

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.